segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Elegância (Música)


Irei ao encontro da dor
Trajando garbo e terno
Nadando em sangue de amor
Profuso sangrar eterno
Você me intimou e eu fui
Sem grunhir, um zumbi todo entregue
Minhas pernas foram espinhal adentro
Pisando, cortando, queimando
Espectro etéreo
Ruindo interno
Falso belo em genética Gray
Rosto errado soando brando
De vitral anjo vivendo em inferno
Desfilando, cambaleando
Ruindo interno,
Chegando falei:
Olhe, não me importo,
Aqui estão alcool e isqueiro
O alvo e o faqueiro
Mire com sua insensatez incerta
Você me fez duro, não me fez pedra
Crave, rasgue, não pare,
Se assim lhe convier
Piedade, hei clamar embalde
Mas loucura vier
Ao lado estão
Algodão e a cura
A linha e a agulha
Se é pra morrer de amor, Amor
Tal mortalha costura
Irei qual amor eterno
Mas com garbo e impecável terno.

Ps: Isto é uma música

Um comentário: